MARKETING EXPERIMENTAL: A REINVENÇÃO DO PONTO DE VENDA

O crescente mercado digital pode parecer muito ameaçador para lojas físicas, atualmente pode-se comprar todo e qualquer objeto através de um e-commerce, com a facilidade de comparar preços, ver resenhas sobre o produto e tudo isso na hora e no local mais conveniente para o consumidor.

O cenário apresenta-se nada favorável para as lojas físicas, e é por isso que os pontos de venda estão sendo repensados, as lojas hoje possuem uma atmosfera inovadora, proporcionando aos clientes uma experiência de consumo diferenciada.

A atmosfera de loja, torna-se parte fundamental para o desenvolvimento da experiência de consumo positiva, pois através dos estímulos sensoriais do consumidor pode-se influenciar o comportamento de consumo. Estar em uma atmosfera de loja, para o consumidor não significa somente a aquisição de um bem ou serviço, mas um momento de experiência de consumo que envolve os sentidos, a qual lhe permite uma verificação completa do ambiente no qual realizou a compra.

A experiência de consumo poderá ser gerada nos campos: dos sentidos, sentimental, pensamento, ação e identificação, sendo os vetores do marketing experimental. A abordagem experimental classifica as experiências em Módulos Experimentais Estratégicos (MEEs), que possuem seus próprios processos e estruturas, sendo as cinco estruturas respectivamente:

  • Sentidos: um apelo a experiências sensoriais e para gerar um impacto sensorial por meio da visão, audição, tato, olfato e paladar.
  • Sentimentos: os sentimentos e emoções pessoais do consumidor são estimulados para criar uma experiência afetiva.
  • Pensamento: um apelo ao intelecto do consumidor é gerando uma experiência cognitiva para engajar o consumidor pela criatividade, pondendo ser através da surpresa, espanto até mesmo pela provocação.
  • Ação: a promoção da mudança comportamental do consumidor é o objetivo principal desse módulo experimental, promovendo a mudança de estilo de vida e inter-relacionamento dos consumidores, sendo de natureza motivacional, inspiracional e espontânea.
  • Identificação: o módulo de identificação agrega aspectos dos sentidos, sentimentos, pensamento e ação. Entretanto, busca atingir a individualização do consumir, provocando o desejo do self

Todas as decisões sobre a loja como layout, apresentação e exposição de produtos, atmosfera, devem propiciar a maior produtividade da área de vendas. No cenário atual do mercado varejista criar uma experiência para o consumidor tornou-se uma nova estratégia para o PDV.

Criado por: Izabel Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *